Parenthood, a minha mais nova queridinha

No último dia 29 de Janeiro de 2015, chegou ao fim nos Estados Unidos a série Parenthood. No Brasil, transmitida pelo GNT, não sei se ela chegou a ter um sucesso muito grande.

Parenthood

Eu pelo menos, nunca dei muito valor para tal série.

Sempre me lembro de cenas fortes nas chamadas do canal brasileiro que davam todo o tom de drama, mas acompanhando tantas séries ao mesmo tempo, acabei deixando pra lá.

Aí veio o final da série e choviam comentários na minha timeline do Facebook sobre o quanto Parenthood era boa e que ia deixar saudades.

No dia seguinte iniciei uma maratona como nunca antes na vida. A primeira temporada matei em três dias e por conta do aumento de trabalho, a segunda tá um pouco mais devagar, até porque tem mais episódios também.

E o que posso dizer de Parenthood em tão pouco tempo?

É uma das séries mais bacanas que eu já vi na vida. Parenthood é apaixonante. É uma daquelas séries sobre família em que você acaba se vendo em diversas situações. Os Braverman conquistam seu coração e você fica querendo saber o que vai acontecer com tal personagem, aquele mantra de “só mais um episódio” fica na sua cabeça e pronto! Saiba que você já está viciada em Parenthood.

Agora, vou assistir mais um “capítulo”. Quando eu terminar a série, o que acredito que não irá demorar muito, eu volto com as considerações finais.

Enquanto isso, deixa eu ir na farmácia comprar uma caixinha ou caixinhas de lenços de papel. =)

A vitória do New England Patriots no Super Bowl 49

Eu sempre gostei de esportes. Acho que acabei sendo influenciada pelo meu pai. Desde os meus cinco anos de idade, me levava para assistir jogos de futebol em São Januário (estádio do Vasco da Gama) e também no Maracanã. Ah, antes quer perguntem, não, eu não torço para o Vasco. O único time de futebol que me interessa é o Chelsea, da Inglaterra. =)

Com o passar do tempo, fui gostando de outros esportes. Tanto que abro mão dos canais de filmes na TV por assinatura, mas não abro mão dos canais esportivos e o futebol acaba dominando minha preferência. Acompanho a Premier League, a Championship (segunda divisão inglesa), a Bundesliga, a UEFA Champions League e por aí vai. Também curto muito esportes americanos, em especial, a NFL.

Muita gente fala que não vê graça no esporte porque acha que futebol americano é só “tiro, porrada e bomba”. Mas não é bem assim. Depois que você ENTENDE o jogo e as regras, tudo se torna mais fácil e não há como não curtir.

No último domingo (01/02), tivemos o tão falado “Super Bowl”, que é a grande final da temporada envolvendo o time que eu escolhi torcer, o New England Patriots e o Seattle Seahawks.

Eu não escolhi torcer para os Patriots por causa do Tom Brady ou porque ele é casado com uma brasileira. Desde que comecei a acompanhar o esporte e assistir jogos de praticamente todos os times, sempre tive mais afinidade com o time de Boston do que com qualquer outro. Mas é claro que as jogadas feitas pelo Tom Brady fazem qualquer um curtir o time.

E nada me tira a alegria de saber que eu tive a chance de ver o New England jogar ao vivo. Tudo bem que foi em Londres, mas foi um jogo oficial da NFL e com Tom Brady em campo.

Voltando a falar do jogo do último domingo, o que dizer da partida? Foi uma das mais espetaculares que eu vi. Confesso que depois de ver Brady sofrer duas interceptações e ver Russell Wilson acertando todos os passes longos, eu temia pelo pior. Mas, por um momento esqueci que quem estava do outro lado era Brady e ele é um cara capaz de fazer milagres.

A sorte de campeão

O primeiro milagre aconteceu quando a pouco mais de dois minutos do fim, os Patriots marcaram o touchdown que virava o jogo. Mas ainda faltavam dois loooongos minutos. Sempre dizem que todo campeão trabalha duro e também tem um pouquinho de sorte. O Seahawks estava a uma jarda de ganhar o Super Bowl pela segunda vez consecutiva mas a sorte de campeão falou mais alto.

New England Patriots
Butler e a melhor jogada da sua vida. (Foto: Reuters)

Me aparece o Butler que nunca fez uma interceptação na vida e acaba fazendo aquela que pode ser a jogada mais importante de toda a sua carreira. Em questão de segundos, os Patriots que estavam com o jogo praticamente perdido, se tornam campeões do Super Bowl.

É por isso que eu gosto tanto desse esporte.